Cuidando do Meu Peugeot

Pages

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A frenagem hoje em dia

 

dica_freios2.jpg
A maioria dos veículo atuais tem sua franagem assegurada em mais de 60% por suas rodas dianteiras
É por isso que elas são geralmente equipadas com freios a disco, que são mais resistentes e eficazes do que os freios a tambor na traseira. Entretanto, certos modelos top de linha possuem quatro discos, geralmente os dianteiros, ventilados.
Assistência de franagem (servofreio)
Ela diminui a pressão que você deve exercer sobre o pedal, enquanto aumenta a potência da freada. Não esqueça: uma vez que o motor é desligado, os freios não são mais servo-assistidos. Seu esforço sobre o pedal deverá aumentar consideravelmente, ficando o pedal mais duro.
Certos veículos são equipados com um sistema anti-bloqueio (abs)
Este sistema permite ter o controle da direção impedindo o bloqueio das rodas numa freada de urgência.
Os freios a disco
dica_freios3.jpg O sistema é de alta performance, pois é progressivo e dissipa perfeitamente o calor. Esta é a razão pela qual o sistema é adotado na parte dianteira.
Ele é composto de:
» Um disco de aço fundido, fixado à roda.
» Pinças equipadas com pastilhas, fixadas ao chassi.
Os pistões dos cilindros das pinças dos freios reagem à pressão hidráulica e empurram as pastilhas contra os discos, reduzindo a velocidade das rodas por atrito.

As patilhas dos freios
dica_freios4.jpg Parar um veículo a uma velocidade de 130 Km/h, uma força da ordem de 150 Kw (200 cavalos) é colocada em ação. Esta força será dissipada em forma de calor, variando entre 300 º C e 800 º C nas pastilhas!
O material das pastilhas é mais mole que os discos e vai se gastar mais rapidamente.
É por isso que as pastilhas devem ser controladas regularmente e trocadas quando a espessura do material de atrito ficar reduzida a 2mm.
Se suas pastilhas estão defeituosas, você corre o risco de danificar o disco de freio. Entretanto, existe o risco de perder o controle do veículo em uma freada brusca.
Fique sempre atento em colocar pastilhas originais, porque os veículos de um mesmo modelo e de um mesmo ano podem ter equipamentos de vários tipos e não serem compatíveis entre si. Lembre-se que a igualdade da forma da pastilha não é suficiente, é preciso ter o composto adequado que só a montadora avaliou na peça original.
A troca das pastilhas deve ser feita sempre aos pares, sobre as duas rodas do mesmo eixo.
dica_freios.gif A Peugeot foi uma das primeiras montadoras a desenvolver uma tecnologia de pastilhas sem amianto, o que dá uma resposta concreta aos problemas ligados ao meio ambiente, sem afetar as características da frenagem, lembrando que o amianto é cancerígeno.
Os discos dos freios
dica_freios5.jpg O disco de freio é um componente muito sensível. A cada freada, ele é fortemente pressionado e, por conseqüência, deve responder às exigências técnicas muito elevadas.
Seus discos devem estar em perfeito estado para que suas pastilhas possam completar seu desempenho com a máxima eficiência. É recomendado fazer o controle a cada troca de pastilhas. Se eles apresentarem rachaduras profundas, deformações ou oxidações, substituir imediatamente. Deverão ser trocados quando o desgaste for superior a 1 mm por face.
Quando você faz a substituição de seus discos de freio, você deve fazer a troca das pastilhas. Deve também sempre substituir simultaneamente os dois discos de um mesmo eixo de roda, a fim de evitar uma freada assimétrica.

dica_freios6.jpg Seu sistema é composto por :
» Um tambor de ferro fundido fixado às rodas.
» Lonas, fixadas ao chassi, guarnecidas de um material de alta resistência ao aquecimento.
» Um cilindro que empurra a guarnição contra o tambor.
As lonas, os cilindros e as molas participam do equilíbrio da freada de seu veículo.
Quando os freios a tambor forem reparados, é preciso trocar as lonas, os cilindros das rodas e as molas. Mesmo que sejam menos solicitados que as pastilhas dos freios, eles supor tam pressões equivalentes. A espessura das guarnições deve sempre ser superior a 1,5 mm. Por isso, a limpeza e um controle regular são recomendados.
Os elementos defeituosos podem ocasionar, em uma freada, um desvio da traseira do veículo (conseqüente de um bloqueio das rodas traseiras), freios barulhentos e um caminho do pedal mais longo.

dica_freios7.jpg O fluído do freio é um líquido teoricamente incompressível, canalizado pelo cilindro mestre, que transmite para as quatro rodas o esforço exercido no pedal do freio.
Embora o painel de bordo indique, através de uma luz de alerta, que o nível está atingindo o mínimo, é preferível verificar o fluído do freio antes de viajar.
Em caso de diminuição anormal do nível do fluído, consulte sua concessionária Peugeot imediatamente.
O fluído, quando muito usado em condições de frenagem intensiva (em montanha ou região úmida, por exemplo), pode ocasionar uma perda da eficiência dos freios.
Nós recomendamos o controle e a renovação regular do fluído do freio (no mínimo a cada dois anos ou a cada 40.000 Km, o que ocorrer primeiro).

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário